Morongo, vale a pena trocar um “estilo de vida” por uma estilo comercial?

Faz, mais ou menos, cinco anos que fui pela primeira vez para Garopaba e, sem dúvida, foi paixão a primeira vista. Até conhecer aquele lugar a minha resposta para aquela pergunta clássica: “Prefere praia ou campo?” foi sempre a mesma – Campo, mais exatamente Gramado. A única coisa que eu nunca levei em conta, esses anos todos, é que eu não conhecia praia de verdade. A partir do primeiro momento que eu coloquei o pé na areia e mergulhei no mar de Garopaba a minha afirmativa mudou – Praia, mais exatamente Garopaba!!

Nesse primeiro ano eu montei um roteiro de viagem que segui a risca até esse ano, ir a praia em Garopaba e, pelo menos, visitar todas as outras praias próximas (Ferrugem, Rosa, Ouvidor, Siriú, Silveira...), nem que seja só para dar um mergulho e seguir em frente. E também, é claro, a CIA dos musses, aquele lance que faz sucos e comidas naturais na frente da CIA dos Musses, a Gelomel, o marcado Silva e, impreterivelmente, a loja da Mormaii. Todos os lugares são ótimos o atendimento, o estilo, os produtos... Mas esse ano, a Mormaii me decepcionou!

Não sou cliente preferencial, ainda não sou surfista e nem sou ligado a marcas e ícones da moda, mas sou (ou era) um fã da historia da Mormaii, um defensor do estilo e do que, realmente, na minha opinião, ela vende: um estilo de vida. Nunca tive a ilusão, que grande parte, das pessoas que levei para Garopaba e a loja Mormaii tinham de que lá os preços seriam menores. Sinceramente, nunca comprei muito em lugar nenhum, talvez na loja do Morongo em Garopaba, durante esses cincos anos, uns R$ 300,00, sei lá... Mas todas as vezes que comprei lá nunca chorei preço e nunca fiz manha, qualquer 5% ou 10% de desconto que eu, talvez, conseguisse não seguinificariam nada depois do show que sempre tive. Sempre entrei na loja sem a intenção de compra, mas o jeito, o carisma, o estilo e, principalmente, a paixão dos vendedores em falar sobre os produtos e sobre a empresa fizeram com que eu levasse alguma coisa e, com isso, conseguiram muito mais, fizeram que eu também ficasse apaixonado pela empresa. Nunca me esqueço da aula que recebi de um vendedor, que agora não lembro o nome, sobre pranchas de surf, longs e sobre a empresa que ele trabalhava. Um cara que mesmo sabendo que eu não compraria nada naquele dia me atendeu como se eu fosse um velho amigo, como se não existissem outros clientes na loja e, provavelmente, bem mais inclinados a comprar do que eu, que me contou um “segredo” dessa empresa que hoje eu uso na minha, dizia ele: - para você trabalhar aqui você tem que amar a vida do surf. Simples, simplesmente lindo! Sempre entrei na loja sem a intenção de sair, sabe curtir o local, conversar com clientes e funcionários. Mas esse ano, a Mormaii me decepcionou!!

Diferente dos outros anos, entrei inclinado a comprar uma camiseta caso eu gostasse de alguma coisa e a minha namorada “só iria olhar” (vamos combinar, não dá para acreditar nisso né?), a loja continua linda e agora está maior ainda, porem a estratégia mudou, fui abordado por uma menina, que também não lembro o nome, e, infelizmente, não consegui ver nos olhos dela aquela paixão que sempre vi nos olhos do pessoal nos anos anteriores. Ela totalmente despreparada, todos os produtos que ela me mostrou e foram vários, que e que eu não estava interessado (lembrem, só uma camiseta), ela tinha sempre dois argumentos e, não mais do que isso, que ela repetia incansavelmente, (Oculos, extremamente leves e com memória molecular. Bermuda, com neoprane e sem custura. Chinelo, que combina com tudo e dura muitos anos. Boné, com cores legais e resistente...). Diferente das outras vezes, eu não fiquei mais de trinta minutos dentro da loja, comprei a camiseta só porque eu realmente queria e não devido aos “super argumentos” da vendedora. Sendo que desses trinta minutos uns quinze minutos eu fiquei tentando fugir dela, pois ela não entendia quando eu falava: - eu só quero a camiseta! A essa altura desesperado para deixar aquela loja onde a única coisa importava era a comissão que ela conseguiria comigo. O ponto maximo do terrorismo que sofri foi quando ela falava dos óculos ( que eram muito leves e tinham memória molecular) e usou de exemplo o óculos que eu usava, na intenção de mostrar como os óculos da Mormaii eram superiores, entretando, e ela não se deu conta que o meu óculos também era da Mormaii...

Não sei como uma empresa pode mudar tanto de um ano para o outro, só sei que essa mudança me decepcionou profundamente! Tinha certeza que quando eu fosse surfar a prancha e o long serião Mormaii, pois, até esse final de semana, a Mormaii era uma empresa diferente! Ela não fabricava e vendia produtos com qualidade internacional, isso qualquer empresa faz. Eles eram para mim um ícone! Representavam e estavam em um local onde só as grandes empresas e as grandes almas conseguiram chegar, um local além do dinheiro, além da concorrência, além da briga por alguns trocados, além da marca. Eu entrava para comprar um óculos, uma prancha, uma camiseta, um chaveiro que seja, mas saia com vontade de contar para todas as pessoas que eu conhecia como era bom entrar naquele lugar e poder desfrutar, nem que por alguns minutos, aquele estilo de vida, aquele ambiente e ficava contando os minutos para voltar lá outra vez. Nas outras vezes que tive que passar na frente da loja, nesse feriado, passei pelo outro lado da rua para evitar que algum vendedor commodity tentasse me agarra pelo braço para me empurrar goela abaixo um produto que eu não estava precisando só para ele atingir a sua meta de vendas! Me sinto como uma criança que descobriu que o Papai Noel não existe, pois EU acreditava que para a Mormaii e o “estilo de vida” era muito mais importante que um “estilo comercial” vencido e falido! Mas a Mormaii me decepcionou provando o contrario! Se liga Morongo!!

7 comentários:

Mari Ceratti disse...

É por isso que eu não sou fiel a nenhuma marca. Elas só existem para levar o nosso $$$. Vendedora que tenta dar uma de amiguinha... urghhhh :-PP

Anônimo disse...

Brother,

Você consegiu escrever um texto muito poético e dramático, mas esqueceu de pensar em detalhes básicos antes de fazer a tua crítica.

A Mormaii não possui loja própria. Ela trabalha com franquias. A loja de Garopaba, ao contrário do que muitos pensam não é apenas do Morongo. Ele tem parceria com a franquia, mas ela é comandada por um outro empresário, que é tão do surfe quanto Morongo. Ele nem sabe direito o que tá acontecendo com a loja, pois confia muito no seu sócio. Agora, o mais básico: como você pode julgar uma empresa inteira através do pensamento de uma única vendedora? Brother, a menina pode ser nova, ainda não se liga na filosofia da Mormaii, ou então poderia estar com um problema financeiro e num ato de desespero, tentou te vender o máximo de produtos. Você acha que o Morongo é quem deu esse "treinamento" pra ela?

Meu amigo Fanning disse que você é um viadinho.

Pára de chorar e de escrever um texto babaca e infantil detonando uma empresa que vende sim estilo de vida. Não julgue uma marca por uma vendedora. Se você acha que ela não vende estilo de vida, cola no final da tarde na praia do Silveira e olha os funcionários pegando altas ondas com o Morongo.

Anônimo disse...

É mesmo cara...

você é muito viadinho...

Marcio Eugênio disse...

Meus amigos ANÔNIMOS, o erro que muitas empresas cometem é esse ai mesmo, de argumentar que o problema está na franquia, está no vendedor, que o dono não pode atender e treinar a todos... Mas o que muitas não enxergam é que a empresa para mim, cliente, naquele momento, foi aquela vendedora. Se não estava treinada ainda e alinhada com os objetivos da empresa, porque colocar ela no batente? Porque não esperar um pouco mais? Por que não selecionar melhor? Enfim...


Abraços,
Marcio

Anônimo disse...

Márcio...

você chegou a entrar em contato com o Serviço de Atendimento da MORMAII??? eles te responderam de alguma forma? acho estranho pq até hoje sempre fui muito bem atendido por eles...

[]s

Marcio Eugênio disse...

Opa, Responderam sim, eu até iria postar o e-mail no blog, mas deu um problema na minha maquina e acabei perdendo a resposta deles. E também devido a correia de final de ano o assunto ficou meio esquecido. Entretanto, acredito que tenha sido um caso isolado, pois no inicio do ano eu voltei a loja da Mormaii, não encontrei aquela vendedora e fui bem atendido como nas outras vezes.

[]s
Marcio

Anônimo disse...

A marca mormaii ja era brother...
antes foi um ícone de estilo de vida mas hoje é só fachada pra seus donos (morongo e companias) lotarem seus bolsos de grana.
Nada mais alem disso. O surf (esportes radicais) são usados pela marquinha mormaii (hoje é uma marquinha mesmo)só e unicamente pra comercio. A garota citada (vendedora) devia estar com fome, elas ganham uma miséria do mão de vaca morongo...hehe..pior que é!!!!!!!!